Portuguese Spain English

Everyday Somewhere

Lake Taupo and Craters of the Moon

No caminho de Lake Taupo onde passamos apenas uma noite, em direção a Rorotua, aproveitamos para conhecer a Crater of the moon,um vale de crateras, localizado a 4 km ao norte de Taupo.

Ali você poderá caminhar por passarelas de madeira que cruzam todo o vale, presenciar esse fenômeno da natureza e sentir o calor da terra de pertinho. Para ser sincera, nunca imaginei em estar em lugar assim, e muito menos tinha parado para pensar que poderiamos estar tão perto de uma cratera em ebulição. Eu confesso que a visita as crateras me deixaram completamente de boca a aberta e muito curiosa com que estava diante dos meus olhos.

We decided to split up our journey to Rotorua with a stop in Lake Taupo for one night. This decision would have been considered a mistake if it was not for the visit we paid to the Craters of the Moon, a mere four kilometres from the centre of town.

Here you will be able to stroll along the wooden walkways that line the mountain and make the most of this impressive natural phenomenon. To be honest with you, this place exceeded our expectations in every way and I never thought I would be able to get this close to these bubbling and sulphurous craters.

Você pode até achar nada de mais, ver um vale com vapor saindo da terra, ou pode até achar normal escutar e ver caldeirões de lama em abulição. Alguém pode me explicar como é possível?? Pacientemente, me explicaram exatamente como se explicaria para uma menina de 12 anos, em meio a uma excursão do colégio. Então vamos lá, agora é a minha vez…

As crateras da lua, ficaram conhecidas na região na década de 1950, quando de repente essa grande área começou esquentar e emitir vapor, atraindo muitos pesquisadores e curiosos. Tá, mas como é que isso aconteceu?? Foi exatamente isso que eu perguntei…acho que tem haver com uma rachadura na terra, água subterranea , não..não, eram erupções hidrotermais, que mesmo sabendo o nome, continua dificil de entender. Eu juro que prestei atenção, mas não, não lembro como funciona essa história de crateras com vapor. rsrs

Some of you might find all this normal, fields covered in escaping vapour and bubbling mud pools, but it seemed like another world to me. Patiently it was all explained to me, as if I was a 12 year old child on a school outing, and now it’s my turn…

The Craters of the Moon were discovered around the 1950s when, all of a sudden, the area’s temperature increased and vapour started to emanate from the ground, bringing with it a large number of researchers. Ok, but how did come about? I think it was related to a large crack in the ground, subterranean water… No, wait, it was hydrothermal eruptions…I swear I was paying attention at the time but nothing seems to have stuck.

 

Calma, segundo o nosso querido quebra-galhos Wikipedia, o evento foi provocado pelo abaixamento da pressão da água subterrânea por uma estação de energia próxima geotérmica. A água superaquecida subiu para a superfície, escapando através de qualquer abertura que poderia encontrar.A pressão do vapor sob a superfície excede a pressão exercida pelo peso do solo sobrejacente. Isso resulta em uma explosão.Uma mistura de água quente, vapor, a lama quente e pedra-pomes é ejectado para o ar. O material pode ser ampliado por 100 m, deixando para trás buracos ou crateras tão profundas como 20 m.” Uau! Entenderam agora? E ainda diz que pode ocorrer uma vez por ano.

O que Nick e Jamesnão me explicaram no momento em que me incentivaram a ficar mais próxima de uma cratera para a foto, é que nunca devemos sair das plataformas, devido aos gases venenosos e que as temperaturas do solo em torno de saídas de vapor podem atingir níveis perigosos. Porque eu não pesquiso antes de sair de casa?

Wait a second, let me use the get out of jail free card of Wikipedia. All the craters at The Craters of the Moon are the result of hydrothermal eruptions. The pressure of the steam beneath the surface exceeds the pressure exerted by the weight of the overlying ground. This results in an explosion. A mixture of hot water, steam, hot mud and pumice is ejected into the air. Material may be blown up to 100 m, leaving behind holes or craters as deep as 20 m. Did you all get that?

What Nick and James never explained, as they encouraged me to get closer to the crater for a photo opportunity, was that you should never leave the walkways as the gases expelled are toxic and the temperatures around the ground can reach dangerous levels. Why don’t I research these things before I leave home?

Se você ficou interessado, as Crateras da Lua, ficam abertas durante todo o ano, e a taxa de entrada custa apenas NZ$5, é uma taxa apenas para manutenção, já que todo o trabalho lá é voluntário.

If you are interested in The Craters, they are open all year round and the entry is only NZ$5, all of which goes to the maintenance of the park as the workforce are all volounteers.

 

Share Button

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *