Portuguese Spain English

Everyday Somewhere

As mulheres nas Olimpíadas de Londres

Nessa última Olimpíada foi realizada a primeira final de boxing feminino, e depois de 116 anos do primeiro Jogos Olimpícos de Atenas, onde apenas homens disputaram, as mulheres colhem os frutos de anos de luta para conseguir mais espaço nesse evento tão importante. Para vocês terem uma idéia, nas Olimpíadas de 1908, realizada aqui mesmo em Londres, eram 2.059 homens e 36 mulheres.

Esse ano não só tivemos a oportunidade de ver o desenvolvimento dessa modalidade, como também uma das imagens mais marcantes desse jogos, quando a saudita Sarah Attar fez história ao tornar-se a primeira mulher de seu país a competir no atletismo dos Jogos Olímpicos. Ela pode até ter sido a corredora mais lenta das mulheres nos 800 metros, mas com a cabeça coberta e mangas e calças compridas, a estudante de 19 anos  emocionou a todos e levantou uma multidão no estádio Olimpíco.

Antes mesmo da abertura, as Olimpíadas de Londres eram apontadas como os jogos das mulheres. E depois de 16 dias que a pira foi acesa, elas atenderam às expectativas e somar recordes e medalhas. O país número dois de medalhas, os Estados Unidos, veio com uma delegação feminina maior que a masculina, as mulheres conquistaram a maioria das medalhas da Espanhã, na nossa delegação elas representam 47% dos atletas, e ainda fizeram história, como a judoca Sarah Menezes que faturou a primeira medalha Olimpíca de uma brasileira na modalidade.

Na natação, as mulheres venceram com direito a recordes, como a chinesa Ye Shiwen, que com apenas 16 anos,  quebrou o recorde mundial dos 400m medley e ainda na última parcial, fez um melhor tempo que o norte-americado Ryan Lochte, campeão entre os homens. Também nas Olimpíadas de Londres, pode ter tido a primeira atleta grávida. O COI (Comitê Olímpico Internacional) não tem um registro oficial de competidoras gestantes, mas, pelo menos, nunca alguém brigou por medalha já na fase final da gestação. Nur Mohamed Suryani Taibi, da Malásia, grávida de oito meses, disputou o rifle de ar de 10 m no tiro esportivo.

As Olimpíadas de Londres, não foram apenas o palco para as consquistas femininas, mas também tivemos demonstrações de superações, como a do atleta Sul-Africano, Oscar Pistorius, quatro vezes campeão paraolímpico, que teve suas pernas inferiores amputadas aos 11meses depois de ter nascido sem a fíbula na perna, e aqui nessas Olimpíadas de 2012, o atleta com a ajuda de próteses chegou até a semi-final dos 400 metros, emocionou milhões de espectadores e fez história.

Share Button

OneComment

  • Another great post guys…great work! Also good for practicing my Portuguese!

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *